sábado, 6 de setembro de 2008

Benção e Maldição

Tenho me preocupado com as palavras que saem da minha boca? Acredito que são apenas palavras ditas da boca para fora? Nossas palavras não tem importância?

Pois, palavras podem ser mais mortais que a arma mais evoluída do homem.

As palavras ditas no calor do momento, ou as que saem no chamado "sem querer", nada mais é do que o reflexo do nosso coração.

Mateus c15v18a "Mas o que sai da boca vem do coração,..."

No velho testamento encontramos vez ou outra DEUS mencionando sobre o valor das palavras, principalmente no que se refere a benção e maldição.

O primogênito, aguardava o momento em que seu pai lhe estendesse a mão e desse a benção, isto foi motivo de briga entre os gêmeos Esau e Jacó.
DEUS impediu que Balaão proferisse palavras de maldição contra Israel, e ainda diz "E quem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, será morto" Êxodo c21v17.
Em Êxodo c20v7, o terceiro mandamento, diz "Não tomaras o nome do Senhor teu Deus em vão; porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão."
Noé, amaldiçoou a Canaã, praticamente uma profecia.

Temos demonstrado a importância e algumas conseqüências de palavras "mal-ditas".

Amaldiçoar, é o desejar mal ao outrem.
Palavras como "Tomara que morra", quando somos fechados no transito por um motorista que parece ter comprado sua carteira, ou por pessoas que cometem pecados aos nossos olhos horrendos, "Vai para o inferno", palavras que saem para indicar a distancia que se deseja da outra, e tantas outras coisas que não é nem preciso mencionar.
Fora isto temos também as situações em que qualificamos as pessoas, "Você é burro", "Inútil", "Deus me livre (sub-entendido "de você").
Para os desavisados de plantão, quarenta rapazinhos foram mortos por duas ursas, depois de terem zombado, chamando-o de "calvo", do profeta Eliseu, foram amaldiçoados por ele. Achou exagerado? Talvez você é quem devesse reavaliar as palavras que tem saido de sua boca.
O Senhor Jesus disse:"... e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo." Mateus c5v22
Estaria também o Senhor Jesus exagerando?

Não meus caros leitores, o que acontece é que a boca é o reflexo do coração. As palavras que proferimos, e as ditas no impulso, são as mais sinceras, porque não pensamos antes de falar, e despejamos aquilo que estava em nosso coração.
Quando temos tempo de pensar, analisar o que será dito, podemos medir melhor as palavras, e evitar estes danos. Mas, não poucas vezes, algumas palavras simplesmente saem, e palavra dita, é como a pedra lançada, não volta atrás.

Leia com atenção Mateus c12v33-37, "porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado."

Comece a fazer um check-up espiritual e trate do seu coração, para dele tirar palavras, que não sejam para maldição dos outros, e automaticamente nossa também.

Salmo c119v11 "Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti.". Um ótimo conselho do salmista.

Provavelmente, você estará reavaliando o que tem saido de sua boca, pois as bençãos ou maldições que sobrevém sobre as pessoas e o nosso teto, está intimamente ligado as palavras que tem saido de nossas bocas.

Ao invés de se queixar e praguejar, contra a sua casa que não é mais bonita, seu filho que dá tanto trabalho, seu serviço que é muito difícil, seu vizinho que lhe estorva, seu parente que é a ovelha negra da familia, seu irmão em Cristo que não tem uma conduta condizente, dobre seus joelhos, e diante de DEUS, rogue bençãos, transformação e arrependimento.

Mas para isto é necessário que haja no nosso coração um bom tesouro, para que nossas palavras possam ser boas.

E lembre-se: "A BÍBLIA TEM RAZÃO"

Nilson Chagas
nilsonchagas@amados.com.br
http://amados.com.br/podcast
http://tempodesalvacao.blogspot.com/

Um comentário:

Anônimo disse...

Excelente estudo, esclarecedor e um grande desafio para os nossos dias.